Artigos

Transtorno de Ansiedade Generalizada

Transtorno de Ansiedade Generalizada

As características principais do transtorno de ansiedade generalizada são ansiedade e preocupação persistentes e excessivas que parecem passar de uma questão para outra, sejam familiares, amorosas, relacionadas ao trabalho ou a qualquer outra origem. Ainda que o indivíduo saiba que suas preocupações e ansiedade são exageradas, ele encontra dificuldades em controlá-las. 
 
Muitos indivíduos com transtorno de ansiedade generalizada queixam-se de inquietação, fadiga excessiva, dificuldade de concentração, irritabilidade, perturbações do sono e experimentam sintomas somáticos como tensão muscular, sudorese, náuseas e diarreia.
 
O indivíduo ansioso vive constantemente preocupado com o futuro. O termo preocupação já indica a ação de se “pré ocupar”, ou seja, antecipar cargas emocionais que não deveriam ser absorvidas no momento presente. A preocupação excessiva prejudica a capacidade do indivíduo de fazer as coisas de forma rápida e eficiente, seja em casa, seja no trabalho, e interferem de forma significativa no seu funcionamento psicossocial, vez que o indivíduo costuma não perceber suas preocupações como manejáveis, ainda que surjam questões mais prementes. 
 
O estado permanente de angústia, apresentado nos casos de TAG, nem sempre é desencadeado por alguma razão, por vezes, nem mesmo o próprio indivíduo consegue identificar os motivos das suas preocupações. 
 
O tratamento do TAG é multimodal, incluindo farmacoterapia e psicoterapia. Os antidepressivos e ansiolíticos apresentam bons resultados no tratamento, assim como a terapia cognitivo-comportamental (TCC) e terapia psicodinâmica.
 
Uma mudança no estilo de vida também é essencial como parte do tratamento. Incluir atividades físicas, manter uma alimentação rica e balanceada, prezar pelos contatos sociais e momentos de lazer são atitudes que proporcionam uma vida mais equilibrada. 
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para cada caso, bem como a dosagem correta. Se você se identificou com alguma das situações relatadas, procure ajuda profissional. A automedicação é contraindicada em todos os casos. Todo tratamento deve ser acompanhado por um profissional qualificado e não deve ser interrompido sem seu conhecimento.
 
Leandro Augusto Paula da Silva
CRM: 34231 - MG