Artigos

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Obsessão é a presença recorrente e persistente de pensamentos, impulsos ou imagens que são reconhecidos como indesejáveis e invasivos. Já a compulsão se caracteriza por comportamentos repetitivos ou atos mentais que o indivíduo se sente compelido a executar de acordo com regras que devem ser rigidamente aplicadas, comumente em resposta a uma obsessão.
 
Os indivíduos com TOC costumam se valer de crenças disfuncionais, podem apresentar senso de responsabilidade aumentado, tendência a superestimar ameaças, perfeccionismo e atribuir importância excessiva a pensamentos, sentindo necessidade de controlá-los.
 
As obsessões são percebidas pelo sujeito como desprazerosas e experimentadas de forma involuntária, causando acentuado sofrimento ou ansiedade na maioria das pessoas. O indivíduo com TOC tenta ignorar e suprimir os pensamentos involuntários, evitando os desencadeantes, por exemplo, ou neutralizá-los com outro pensamento ou ação. Essas tentativas de neutralização são caracterizadas, normalmente, por compulsões.
 
O objetivo do indivíduo compulsivo é reduzir o sofrimento desencadeado pela obsessão ou evitar o evento temido, entretanto, esses comportamentos ou atos mentais não têm uma conexão realista com o que visam neutralizar ou evitar ou são claramente excessivos. As obsessões e compulsões tomam tempo e a ocorrência dos pensamentos obsessivos tende a agravar-se à medida que são realizados os rituais, transformando-se num obstáculo para a rotina diária da pessoa.
 
Embora o conteúdo específico das obsessões e compulsões varie entre os indivíduos; certas dimensões dos sintomas são comuns no TOC, tais como: limpeza (obsessões por contaminação e compulsões por limpeza); simetria (obsessões por simetria e compulsões de repetição, organização e contagem); pensamentos violentos (crença que ter um pensamento é tão ruim quanto executá-lo e compulsões relacionadas); e ferimentos (medo de ferir a si mesmo ou aos outros e compulsões de verificação relacionadas). Há diversos relatos de pessoas que, antes de sair, precisam conferir o registro de gás, tomadas, janelas e portas repetidas vezes (compulsão), pois acreditam que a casa poderá pegar fogo ou ser roubada (obsessão) caso assim não o façam. Esse ritual de verificação é percebido como estressante, uma vez que toma tempo e dificulta a observância dos cronogramas e compromissos assumidos pela pessoa.
 
O início dos sintomas é geralmente gradual e, quando não tratado, seu curso é, em geral, crônico, com os sintomas tendo aumentos e diminuições de intensidade ao longo do tempo.
 
O tratamento do TOC é multimodal, incluindo farmacoterapia e psicoterapia. A terapia cognitivo-comportamental (TCC), em especial à terapia de exposição e prevenção de respostas (EPR), costuma apresentar bons resultados no tratamento, assim como o uso de medicamentos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS).
 
Uma mudança no estilo de vida também é essencial como parte do tratamento. Incluir atividades físicas, manter uma alimentação rica e balanceada, prezar pelos contatos sociais e momentos de lazer são atitudes que proporcionam uma vida mais equilibrada e prazerosa. Pequenos passos podem resultar em grandes progressos para alcançar uma Vida Esplendida.
 
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para cada caso, bem como a dosagem correta. Se você se identificou com alguma das situações relatadas, procure ajuda profissional. A automedicação é contraindicada em todos os casos. Todo tratamento deve ser acompanhado por um profissional qualificado e não deve ser interrompido sem seu conhecimento.
 
 
Leandro Augusto Paula da Silva
CRM: 34231 - MG